domingo, junho 01, 2008

Mogwai - Come On Die Young


Post-Rock não é um gênero que tem muito espaço por essas bandas, o que não quer dizer que é ruim. O termo "post-rock", acho meio besta, mas é indiscutivelmente, uma das melhores músicas destes últimos tempo, dentro de toda sua totalidade, e o Mogwai, como uma das bandas mais experientes no troço, é uma das mais legais.
Come On Die Young é o segundo disco dos escoceses, lançado em 99, por um selo indie chamado Chemikal Underground, e recebendo prenssagens do selo, também independente, Matador. Hoje já não há mais o mesmo hype que existia há alguns anos atrás em torno da banda, mais especificamente, após o lançamento de Young Team, o primeiro disquinho deles. Com apenas um disco de estúdio, e outra coletânea de gravações iniciais, o Ten Rapid, a banda tava na boca do povo "antenado" e as expectativas para um disco novo eram absurdas.
Mais absurdas foram as reações da mídia quando pegaram Come On Die Young nas mãos e apertaram o play. Sempre rola essa comparação com trabalhos anteriores e tal, e alguns até dizem algumas coisas, que eu considero "verdadeiro", mas descer o cacete não tá muito certo. É verdade que o disco peca um pouco no quesito inovação, algumas vezes, parece que é sempre o mesmo riff que eles tão tocando, mas isso que dá esse clima tão "sombrio" ao disco. Se tu acha que Seventeen Seconds é o disco mais triste do mundo, tu tem que dar uma zoreiada nesse trabalinho aqui.
Não sei se é por a banda gostar (?) de Punk-Rock ou por ela ser conhecida pela ética punk e declarações e ações polêmicas, que a intro leva o nome de "Punk Rock:", canção que não tem nada ha ver com o nome, a não ser a fala de Iggy Pop sobre o assunto, extremamente interessante. Logo que a número dois começa a tocar, vem uma grande surpresa: uma música pop! É, se dá pra chamar isso de pop. A mesma melancolia de um filme preto e branco, com um vocal nada empolgado com a idéia de cantar, faz de "Cody" uma ótima experiência.
Durante as 12 faixas de longa duração e de pouco "convecionalismo", a penúltima chama a atenção de novo. Lá pela metade dos 10 minutos de "Christmas Steps" a melancolia é trocada pela raiva, o peso, o barulho destruidor e a euforia, que pouco a pouco vai se apagando e se misturando nas texturas de distorções.
Algumas informações interessantes que a Wikipedia me deu, foi sobre a capa. Trata-se de uma "homenagem" ao personagem Captain Howdy, do filme Exorcista, de 73, na capa, interpretado pelo baixista da banda, Dominic Aitchison. Falem o que quizer, eu ainda tenho um sentimento especial por esse disquinho, que eu recomendo sempre dar uma ouvida. Talvez o disco mais triste que eu já ouvi, e também, um dos bonitos. Duvida? Download.

Um comentário:

mrs-mad-hatter disse...

Eu não consigo baixar nem o cd do 8 bit weapon e nem o do mogwai. diz que o arquivo está corrompido. T_T

se puderem postar de novo, eu agradeço.
besos.