quarta-feira, maio 14, 2008

Daïtro - Laisser Vivre Les Squelettes


Daïtro é uma banda francesa de emocore verdadeiro/screamo verdadeiro muito pouco conhecida aqui nas terras brasileiras. Arrisco a dizer que até pelo mundo não são muito conhecidos, pois a única fonte de informações seguras é o site da banda. Fora isso, não há nada realmente confiável.
A sonoridade é bem atraente, pois as músicas transitam por passagens rápidas de puro hardcore (quase um power-violence, por isso que alguns chamam a banda de emo-violence, porque é a mesma coisa só que com letras emotivas) a outras mais calmas e relaxantes. Ou quase isso. Enquanto o instrumental toca lindas e agradáveis notas, o vocalista se esgüela, grita a ponto de desafinar, algo completamente sofrido. Não há técnica de rasgado ou gutural, apenas o grito sofrido e insandecido, tipo uma banda que postei aqui esses dias, a La Quiete. Mas não pensem que o som seja similar. De fato, há semelhanças, e até quem curte Daïtro gosta de La Quiete, mas há, também, diferenças gritantes na sonoridade de ambas.
Laisser Vivre Les Squelettes é um bom álbum, mas tem hora para ser apreciado. Suas músicas, na maioria, são geralmente lentas e depressivas, com passagens que propõem ótimos momentos para uma reflexão. Um dos pontos mais interessantes é que o álbum é todo gritado em francês, o que acaba soando muito diferente aos nossos ouvidos. O francês parece uma língua delicada, não? Diria até que "estilosa". É lindo ouvir o cara gritando com elegância! E a duração das músicas também varia muito. Podem ter tanto 2 ou 3 minutos quanto 9 ou 10. Gostei e recomendo, principalmente para quem acha que emocore é Fresno e My Chemical Romance! Baixe e perceba a diferença gritante entre pop distorcido e emo.
Detalhe: Só achei a capa em GIF. Salve no seu computador que ela deve se mexer.
Download.

8 comentários:

Mute disse...

EXCELENTE banda, recomendo demais
depois de um post desses eu sou obrigado a recomendar e pedir GANTZ aqui no blog, pra mim nao existe banda de screamo melhor
o vocal me deixa até arrepiado

Felipe disse...

Emo-violence é a mesma coisa que Power violence?
Ouvi dizer que o Daitro vai abrir um show pro Spazz e pro What Happens Next?
Quanta bobagem..
Põe o novo do Pathology !

Symbiont disse...

Pode crer, Mute!
-----
Nossa, Champz! ;O Descobriu sozinho que Daïtro não é power-violence? Percebe-se como você sabe ler bem um post. E não postarei o Pathology.

Anônimo disse...

Tenho uma banda que segue a mesma linha do Daïtro, aqui no Brasil existem pouquíssimas nesse estilo, acho muito importante que vocês estejam postando o disco dessas bandas e dando uma visão diferente do que aquela idéia distorcida que as pessoas ainda tem do emo!.
Gantz, Sed Non Satiata, Funeral Dinner, Pax Cecilia, The Vidablue e Sues la Lune são outras bandas que poderiam aparecer aqui no blog.
Aqui no Brasil existe o Um, Nenhum, Cem Mil (Curitiba), Insimetria (Uberlândia) e os finados 3 segundos antes da queda (Brasília) e Saddest Day (Belo Horizonte)

Renato Albuquerque disse...

lembra um pouco dance of days e ludovic
boa a banda

Renato Albuquerque disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flávio disse...

Tem duas bandas francesas que sao meio diferentes, mas nesse rumo, que eu gostei pra caralho que foi o Amanda Woodward e o Anomie (este principalmente). Legal eles darem as caras por aqui.
No mais parabéns pelo blog que é do caralho, to sempre olhando aqui. Abraço

Victor disse...

Daïtro é minha banda peferida, e é como tu disse mesmo, quem gosta de Daïtro, gosta de La Quiete e derivados. Muito bom o que você disse no post. É bom pras pessoas acabarem mesmo com aquela visão ridícula de Emo.