domingo, março 11, 2007

Morbid Angel - Entangled In Chaos (ao-vivo)


Como essa semana que virá será dedicada ao rock, decidi largar um último som extremo aqui. Eu sei que a semana começa hoje no calendário, mas para todas as pessoas começa na segunda, então aqui começa na segunda também.
"Quem sabe, faz ao-vivo!" - Já diz o velho ditado. E não é que é um dos mais verdadeiros que existe? O Morbid Angel é uma banda que, por natureza, tem vários álbuns muito bons no estúdio! Mas como toda banda precisa de um álbum ao-vivo para provar que é boa mesmo, aqui está o deles: Entangled In Chaos.
Isso aqui é, definitivamente, uma parede sonora! Um exemplo de como fazer música ao-vivo! Sem contar a produção, que deu o devido destaque a todos os instrumentos e os deixou com a sonoridade original de algo que é tocado ao-vivo. Algumas bandas gravam um álbum ao-vivo, o mesmo vai para uma mixagem em estúdio e é aplicado tanto efeito, mas tanto efeito, que o lance fica mecânico; perdendo aquilo que deveria ter de essencial: A pegada que só existe ao-vivo! E aqui, felizmente, o lance ficou fodão!
Pete Sandoval, o baterista, mostra-se um grande músico, talvez um dos melhores bateras de todos os tempos! Desumano o trabalho do cara aqui. Esse trabalho de bateria é somado ao vocal gutural de David Vincent que, ao mesmo tempo, toca baixo e faz as bases para o trabalho insano de Trey Azaghtoth! Sabe aquelas bandas que você reconhece de cara ao escutar um solo de guitarra, tipo Slayer? Pois é, o Morbid Angel é outra que possui solos bem nessa linha. Algo bem marcante e original, e repito aqui: Prezo muito isso.
A banda não estava preocupada em ser a mais rápida do mundo ou a mais pesada, pois temos aqui vários tipos de sons dos primeiros álbuns. As músicas vão da velocidade extrema (Lord of all Fevers & Plague; Blasphemy Of The Holy Ghost) passando por algo mais lento e sombrio (Immortal Rites) e até algo mais trabalhado (Sworn to the Black; Rapture).
Não perca tempo, baixe essa aula clicando aqui e aprecie o trabalho dos mestres do death metal.

6 comentários:

Anônimo disse...

Aê,Colorado!!!

Grande post no melhor estilo Old School of Death Metal!!!
Tive a rara felicidade de vê-los numa apresentação aqui no RJ,em 1988!!! E,claro,com o David Vincent, nos vocais.
Aumenta que isso aí é para espantar a vizinhança!!! Um abraço,Miguel.

Julio disse...

Aeee, Miguel!
Cara, vc tme blog tbm?
E eu sou gremista! aoudhsfuisdhi

Anônimo disse...

Caraca! Que confa,mermão!

Então,têm dois "Júlio" um é gremista e outro é colorado? E frequentam os mesmos blogs - seres da noite,Dududovinil e gravetos e berlotas -,também ???
Ó Padim Ciço,socorrei-me que eu já tô zonzo...!
Não, Júlio (mas,qual?). Eu não tenho blog,não.
Só mais uma pergunta: o que é isso que você digitou - aoudhsfuisdhi - ? É a onomatopéia do chimarrão sendo soprado dentro da cuia,gremista??? Hehehehehe...
Um abração alvinegro,Miguel.

Felipe Eugênio disse...

Hei, colorado aqui não, somos todos do Grêmio invencível!

Julio disse...

Cara, aquele lance é a minha risada!
auheiuhaiul~idsfj
entendeu?
apisdjfopiwe
mas eu só visito o Seres da Noite desses blogs ae que você citou.

Anônimo disse...

Porra,que risada interplanetária (ou seria grêmioplanetária???)é essa,cumpadi! Pensei que você estava engasgando-se...Hehehehe (mais tradicional,né,Júlio...).
Menos,Felipe Eugênio,menos...!
Ok, rapaziada! E lasquem um Destruction ao vivo aí!!! Abração prá todos aí no Sul,tchê! Miguel