segunda-feira, novembro 12, 2007

Big Black - Songs About Fucking


Famosa por ter sido a primeira banda de Steve Albini, o Big Black foi um grupo de rock alternativo que teve suas atividades durante os anos 80. Acredito que dentro do circuito de bandas de rock, Steve Albini é um dos grandes nomes de produtores, ao lado de Rick Rubin. O cara trabalhou com grandes nomes como Pixies, Nirvana, Neurosis e foi o escolhido para produzir o último dos Stooges, porém o que temos aqui é algo bem diferente.
O Big Black surgiu 82, no quarto de Albini, quando estava na faculdade, com uma guitarra e um sintetizador de bateria, que foram os membros até o final da banda, fazia um som altamente pós-punk, influenciado por Killing Joke e Public Image Limited. Com o baixista Dave Riley e o guitarrista Santiago Durango a banda gravou a maioria dos seus registros, incluindo este disco, Songs About Fucking, o segundo e último full-lenght, lançado em 87, pela Touch And Go, também, ultimo ano da banda.
No início, chamei a banda de rock alternativo, pois eles abrangem certos estilos, porém foram uma das importantes bandas do cenário underground americano. Com guitarras sujas e barulhentas mais uma bateria eletrônica, capaz de esmagar cérebros, o Big Black é também muito conhecido por Noise-Rock, graças às dores de cabeças para ouvidos despraparados. Com certas passagens de pós-punk, letras grotescas da dupla Albini e Durango, gritados por um vocal nervoso e sufocado, faz dessa banda uma das mais barulhentas da história. Ritmos massantes, guitarras barulhentonas e viscerais, batidas provocantes e destruidoras com letras doentias, fazem em forma de música o que seria um bigfoot em cima de passat.
O som da bateria programada deu a base pra muita gente como o Ministry e o NIN, ou os maiores aprendizes; Jesus Lizard (Com que Albini trabalhou posteriormente), sem contar tantas outras bandas industriais. Porém, apesar de toda essa ligação com o rock cibernético, eu considero o Big Black muito mais como um banda punk, com a postura de música barulhenta e letras, apesar de sarcásticas, serem críticas. Pra conferir esse puta marretaço, basta clicar na capa.
Créditos ao blog http://less-talk.blogspot.com/, onde consegui achar este disco para download, que estava procurando por um bom tempo.

Um comentário:

Mariana T. disse...

conferiindo^^
pois achei a capa muito show,capas com cor berrante,figura tosca,e nome mais tosco ainda..normalmente me chamam a atençao...
depois pela sua descriçao..faz tempo que nao escuto algo mais 'barulhento'..entao vou sujar meus ouvidos - D

Vlw pelo post~*