domingo, setembro 23, 2007

Painkiller - Guts Of A Virgin


Isso é que eu chamo de som insano! Já ouviu alguma banda que toque jazz e grindcore ao mesmo tempo? Não? Pois o Painkiller é a banda que eu trago para lhe apresentar.
Formada no início dos anos 90 pelo ex-baterista do Napalm Death, o memorável Mick Harris, pelo saxofonista John Zorn e pelo baixista Bill Laswell; insano e experimental é o mínimo que pode se dizer sobre a música do conjunto.
Quando eu digo jazz, tô falando do clássico aquele, na linha John Coltrane, praticamente guiado pelo sax. É claro que aqui o John ficaria, no mínimo, chocado, provavelmente diria que isso é uma ofensa ao jazz, mas enfim...
Um saxofone desenfreado, tocado de maneira livre e bizarra é acompanhado por uma bateria que alterna entre as bases de tempo quebrado do jazz e os blast-beats do grindcore com um contra-baixo extremamente sujo que chega a parecer uma guitarra. Pra loquear mais, vocais agudos e rasgados com muito efeito! Tenho certeza absoluta que os caras do Pig Destroyer foram influenciados pelo Painkiller, pois os vocais chegam a soarem idênticos em algumas passagens.
Guts Of A Virgin é o primeiro material do grupo, que seguiu na ativa até 1995, quando acabou. Nos álbuns seguintes, foram acrescentados elementos de dub e música ambiente. Mas esse final não foi definitivo, pois há rumores não confirmados de que um novo álbum de estúdio está para sair.
A banda contou também com a ajuda de muita gente famosa nos outros álbuns, como, por exemplo, o Sr. Mike Patton e uns japas sobre os quais eu nunca ouvi falar antes.
É música diferente e legal, gostei muito de conhecer. Em breve postarei outros álbuns deles ou de bandas do estilo, porém, por enquanto, você só pode conferir esse. Então, filho(a), não perde tempo e vai baixando.

5 comentários:

Eduardo disse...

Aí pessoal do FUKT, visito o BLOG de vocês faz um tempão e gostaria de saber se eiste possibilidade de fazer parte do mesmo não só como visitante assíduo e sim como colaborador.
Caso haja interesse, adicionem edu.almeida@hotmail.com

Felipe Eugênio disse...

Julio, quando voce me falou em Pain Killer me falou só no Mick, pq você não me disse que esse era mais um dos projetos do Zorn???
Porra, com certeza o Coltrane não ficaria muito chocado não, pois quando se trata do Zorn, porra, o cara é um dos músicos de Jazz e Avant-Garde mais respeitados!
O cara tem projeto com tudo quanto é maluco (E até a Marisa Monte), inclusive com o meu parente, James Saft, que é contratado pelo selo dele, o Tzadik.
Enfim, é um cara que eu pago pau! vamos ver se o esse Painkiller é a nivel de Naked City!

Anônimo disse...

Por sinal, o tal japa é ninguém menos que o YAMATSUKA EYE, companheirão do Zorn, influência máxima do Patton e vocalista do magnífico Naked City.

Anônimo disse...

excelente trabalho por parte de zorn
e companhia. so quera saber se nao da pra postar mais uns albuns desse magnifico painkiller!!

Felipe Eugênio disse...

com certeza, dá mais algumas semanas e irá ver mais um painkiller aqui no blog!