sexta-feira, setembro 28, 2007

Nile - Amongst The Catacombs Of Nephren-Ka


Há tantas coisas para falar sobre essa magnífica banda chamada Nile que eu fico até sem saber direito por onde começar. Pois bem, vou pela grande influência da banda: Egito Antigo.
A cultura que surgiu há milhares de anos antes de Cristo, sempre é estudada quando estamos no primeiro ou segundo grau. Nunca me aprofundei muito no assunto, mas, quando conheci o álbum Annihilation Of The Wicked, e ouvi aqueles sons épicos e surreais, meu interesse cresceu muito. Primeiramente, comecei a ler todas as letras e pesquisar sobre os personagens contidos nelas. Tudo é baseado em estudos feitos pelo líder, guitarrista e vocalista Karl Sanders (um gênio). Baseando-se em lendas, papiros, escritas nas paredes e descobertas arqueológicas, Karl escreve as letras de todos os cd's. Como ele consegue tirar sons de arrepiar a espinha, bem, isso é um mistério.
Aliado a Chief Spires (vocais, contra-baixo) e Pete Hammoura (vocais, bateria), Karl fundou o Nile em 1993. Amongst The Catacombs Of Nephren-Ka, de 1998, é o primeiro CD da banda. Há começar por ter músicas cantadas no idioma egípcio, a banda já mostrava certa originalidade. Com a incorporação de elementos de música oriental, bem como instrumentos e elementos típicos (cítara, percussões, vocais), o Nile mostrou que muita pedra ainda ia rolar. Se fosse fazer uma resenha a fundo do álbum, a leitura acabaria se tornando cansativa, pois o material é extraordinariamente rico. Isso não é desculpa ou encheção de lingüiça, pois quem baixar o CD poderá conferir a aula musical e cultural que a banda passa. Mesmo assim, me sinto na obrigação de dizer que "Ramses Bringer Of War" passa um clima macabro com seus teclados e batidas, algo que realmente cairia bem de trilha sonora de um filme que retratasse a guerra na era do Império Egípcio. "Kudurru Maqlu" é uma instrumental com vocais femininos que remete muito ao que Karl foi fazer no futuro, em seu trabalho solo. No último álbum, Ithyphallic, a música "The Infinity Of Stone" tem uma estrutura semelhante. "Die Rache Krieg Lied Der Assyriche" tem vocais no estilo grito de guerra medieval, outros no estilo "pôr do sol em filme épico", percussões em ritmo de marcha. Cacete, essa ae arrepia os cabelos do meu braço! "The Howling Of The Jinn" é uma das mais brutais, e, incrivelmente, consegue misturar vocais femininos no estilo oriental, ou seja, limpos e marcantes. Uma banda que faça som assim, garanto, nunca escutei. Behemoth possui também elementos de música oriental, principalmente da egípcia, mas não chega a soar tão profundo assim.
Recomendado a todos que curtem som pesado, rico e trabalhado, mas principalmente àqueles que querem ser surpreendidos por algo bem inimaginável.
Download da pérola.

4 comentários:

Anônimo disse...

posta a maravilha de cd que é o novo do the black dahlia murder

Felipe Eugênio disse...

espere e verás!

José Willker disse...

0u vei, seu blog e massa to aproveitando o som, mas ve c acha o cephalic carnage
ae q e uma banda do caraio

Kudurru Maqlu disse...

Realmente, é uma resenha bem breve, pois Nile dá muito o que falar. Com certeza, Nile está no meu Top 3 de bandas preferidas... quanto às outras duas, não tenho muita certeza. Nile arregaça.