sábado, janeiro 26, 2008

Cypress Hill - Skull & Bones


O Cypress Hill não precisa mais de introduções por aqui, pois fui ver e já tem dois discos por aqui, mais do que bom. Essa introdução também fica meio desnecessária, pois eles são um dos grupos de raps mais populares, e é essa popularidade que eu acho interessante. Não é aquela coisa mainstream, eles têm meia dúzia de músicas "bem conhecidas", mas a popularidade deles vai desde aquele cara que só curte rap até aos metaleiros de cabeça aberta, pois o som é de altíssima qualidade; isso que eu chamo de ter credibilidade.
Começaram com um grupo de rap clássico, com a maioria de descendência latina, com batidas pesadas e samples funkeados e sempre com esse estilo macabro nas capas, reflexo das letras, sobre morte, violência, gangs e o mais conhecido: Marijuana. O segundo disco deles, Black Sunday é o exemplo perfeito, e até hoje é considerado um dos melhores trabalhos que a banda já fez. Mas como é a ordem natural, as coisas evoluem, e à medida que a banda ia crescendo, o som mudava, adicionando elementos de música latina até a gravação de um cd todo em espanhol, que todo mundo deve lembrar: O clássico Los Grandes Éxitos En Español.
Skull & Bones é um álbum que foi mais longe ainda, foi a primeira vez que a banda se envolveu diretamente com o rock, no final dos anos 90, época em que Kid Rock e Limp Bizkit andavam em alta. Com a volta de Sen Dog, a idéia deste quinto disco era dividí-lo em dois; Skull é o rap clássico e a melhor parte, enquanto Bones apresenta o lado pesado do disco. Apesar da novidade estar na mistura do rap-rock, o disco Skull é que rouba a cena, desde Black Sunday, o grupo não fazia um trabalho tão memorável, o DJ Muggs estava em ótima forma e a criatividade afiada, criando um ambiente musical funk com uma sinfonia hostil, onde flui as rimas no vocal enjoado de B-Real. O disco é cheio de músicas boas, mas a que garantiu o sucesso foi "Superstar", que recebeu uma versão rap e uma rock, para que pudesse figurar nas diferentes tipos de rádio.
O disco Bones chama bastante a atenção pelo uso de instrumentos de verdade, guitarra, baixo, guitarra e tal, e principalmente quem os gravou. Nas guitarras, Dino Cazares, ex-Fear Factory, ex-Brujeria e atual Divine Heresy, no baixo Christian Olde Wolbers ex-Fear Factory também e Brad Wilk do Rage Against The Machine na bateria. O clima do disco é pesado e meio assustador, assim como as capas do grupo, e fazem o uso de guitarras distorcidas e pesadas, assim como o baixo, que dá uma sustento enorme. Pra quem gosta do híbrido Rap-Rock de Korn e Limpbizkit, segue bem a linha, porém na minha opinião, não é o ponto forte.
Definitivamente, o Cypress Hill é uma banda que tem nosso respeito, não que seja grandes coisa, mas é o mínimo que você deveria dar a uma banda desse nível. Não viva no preconceito, e dá uma curtida nesse som.

6 comentários:

Anônimo disse...

bring me the horizon por favor

asesino disse...

dino cazares na guitarra...

hmm, isso me interessou xD

dá um pulo no meu blog, http://refluxoauditivo.blogspot.com

asesino disse...

POOOOha gostei demais do post sobre o napalm death e o SCUM, cara... não sabia de alguns detalhes, apesar de ser fã da banda... xD

tou adicionando um link pro teu blog no meu, a nossa proposta é bem parecida... http://refluxoauditivo.blogspot.com

abraço

Pinguim disse...

Ótima resenha de uma banda que é foda demais!Só um lance, o Christian nunca saiu do Fear Factory, só mudou do posto de baixista para o de guitarrista.

Alt_of_Ctrl disse...

Po, quase nem gosto de Cypress.

[1991] Cypress Hill
[1993] Black Sunday
[1993] Legalized U.S.A (Live)
[1995] III Temples Of Boom
[1998] IV
[1999] Los Grandes Exitos En Espanol
[2001] Stoned Raiders
[2002] Rare Connection
[2004] Till Death Do Us Part
[2006] Greatest Hits from the Bong

:)

Felipe disse...

Fraga nada de rap, ou não conhece Cypress Hill. Fato.
Rap-rock? tudo bem..
Entre Black Sunday e o Skull and Bones SÓ tivemos plays ótimos, só um idiota pra falar que "não faziam trabalhos memoraveis" não sei quais tipo de argumentos você usou, e também nem me interessa saber.
Aliás, acredito que nunca ouviu um cd inteiro do Cypress nem leu as letras, ta postando só por pose, dizer que é eclético? Faça me um favor, vai ouvir seu A7X.
Posta um Calypso ai e para de fomar opinião desses metaleirozinhos/alternativos imbecis.
Abraço!