terça-feira, fevereiro 12, 2008

Nile - Black Seeds Of Vengeance


Dia desses, quando estava a chegar em casa, deparei-me com um livro sobre a minha cama. A cidade do sol - dizia na capa. A figura do deserto amarelo com laranja em destaque e as duas mulheres caminhando com a burqa me deu a clareza de que tratava-se de um livro que fala sobre a cultura oriental. Estava correto. O livro fala mais precisamente sobre a vida no afeganistão. Comecei a ler, mas faltava algo. Tive a idéia de ler escutando Karl Sanders, que faz um som totalmente oriental. Apesar de relembrar fielmente o Egito, caiu bem também ao Afeganistão, pois assim pude entrar completamente na estória, embalado pelo som hipnotizante. É surpreendente como o guitarrista do Nile tem o dom de tirar "melodias orientais" de qualquer instrumento de corda. Como já foi dito, em seu trabalho solo as músicas são suaves. No Nile é diferente. Aqui a brutalidade come solta, e não é por isso que o clima oriental fica esquecido. Aliás, o Nile veio antes de seu trabalho solo, como todos vocês podem conferir em Amongst The Catacombs Of Nephren-Ka. Um álbum extremo em vários sentidos. Músicas extremamente pesadas, misturas extremamente diferentes e, como conseqüência, uma audição extremamente surpreendente e agradável. Black Seeds Of Vengeance sucedeu este álbum em termos de material inédito. Sem tantos elementos de instrumentação egípcia, o álbum pende mais para o death metal puro. Não por isso que os demais atrativos foram escondidos, pois há diversos riffs, solos e teclados que arrepiam os cabelos do braço, numa atmosfera totalmente oriental. Simplesmente impiedoso! Recuso-me a citar uma faixa sequer. Essa tornou-se uma das minhas bandas preferidas de todos e tempos e creio que ela possui apenas álbuns excelentes. Recomendo sinceramente. Dois anos mais tarde, In Their Darkened Shrines foi lançado e, resumidamente falando, é mais uma pérola. Na seqüência, Annihilation Of The Wicked (com mudança na formação) veio para consolidar o nome de vez na cena mundial. Ano passado, Ithyphallic foi lançado e manteve a linha de qualidade. Agora completamos a "discografia" da banda aqui. Sirva-se à vontade! Nunca vi fã reclamando de algum álbum, nunca vi alguém criticando o som do Nile. Percebe? A banda realmente é boa. E mais: Tem significado em suas letras, que passam a mensagem da milenar cultura egípcia.
Download.

6 comentários:

Edmilson disse...

Esse é o único álbum da discografia deles que ainda não escutei, e o In the Darkened Shrines é meu favorito, mas todos são ótimos, nivelados por cima. Bem que agora eles podiam lançar um álbum ao vivo, né?

Eles até já até deram umas aulinhas em vídeo:

http://blogs.guitarworld.com/metalkult/videos/nile-lesson/

Valeu Dragão...

Lincoln Hawk disse...

Caralho edmilson, que vídeo doido hein ô. Muito engraçado eles rindo das próprias músicas, dos nomes. Os dois são monstros, puta que pariu! Valeu pelo link...

Edmilson disse...

Realmente achei impagável as caras deles quando ele fala "Papyrus containg the speel to preserve its possessor ...". Os dois são fodas na guitarra, dois mestres.

Edmilson disse...

Ah, de nada.

Enjoy...

RaiSantos disse...

Essa banda aí eu conheço e recomendo...

E adorei esses vídeos, Edmilson :D

Anônimo disse...

eu vou degolar a sua garganta